segunda-feira, 12 de maio de 2008

A menina dança.

Os acordes passeiam pela pele e ela segue o compasso. O ritmo é do coração, que tiquetaqueia acelerado. Os passos dele são o seu guia, o seu norte. Ele sente, mas não pressente o alvoroço que virá nos minutos seguintes, nas horas seguintes, nos dias de depois. Ri, como quem desespera. Um choro ao revés. De quem sabe que o começo já é o fim. Porque não haverá outra canção. Não pra eles dois.

11 comentários:

Maria Fernanda disse...

Que texto lindo, apesar de triste.

Emely disse...

e eu danço com lagrimas nos olhos!

=*
PAz

Aline disse...

E às vezes a gente sabe tão errado, tão.
O melhor é não esperar - nem desistir, ainda.

Briza disse...

é só uma historinha, viu, pessoal?
sem preocupações, porque comigo tá tudo MUITO bem.
=)

Violeta disse...

tua bola de cristal é afiada demais
.
beijocas

Violeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lia disse...

sempre linda, sempre.
gosto das palavras tristes, acho elas tão lindas, tão.
beijo
*=
.

Briza disse...

palavras são bonitas porque são.
felizes ou tristes, né?
minhas lindas.
=)

é tão bom ter vocês perto, mesmo quando longe.

Cecília Braga disse...

Eita, meu Girassol. Adorei demais.
beijão

Be* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lúcia disse...

Quem pensa em fim quando o início parece tão, tão bom?
Bonito isso, moça!

Beijos