quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Escrever na areia é coisa de quem armazena o pensamento em grãos, ela sabia. Em imprecisas horas, a saliva de Deus faz espuma. Ela, solfeja. Na beira, um pensamento desvairado é quase mar. Deus livra. Folheia dois tempos. Rasga dois passos. E ela orvalha. Pela manhã, Deus come areia e alucina. Ela sorri. Puxa o livro, mergulha e lê: escreves.
*
Cecília Braga

9 comentários:

Lia disse...

Adorei o blog, viu?
Lindo, lindo!


bjos

Germana Telles disse...

Encontrei você no Garatuja. Apaixonei. Lindo blog. Linkei.

Germana.

Germana Telles disse...

Encontrei você no Garatuja. Apaixonei. Lindo blog. Linkei.

Germana.

Vanessa disse...

.
Cecília é sempre um girassol...


te beijo sem fim, morta de saudades



=)


.

Duda Vila Nova disse...

sigo com saudade de teus textos.

:D

Alex Pinheiro disse...

Gostei de um tanto tanto -.0

Esse negócio de saias de filó me lembra barata da infância,,, alegorias que não gosto de esquecer: obrigado!

Parabéns e #vqv nessa nova empreitada o/

Bjs e novas invenções!

Camila disse...

[Escrever na areia é como falar pro vento... ]

Já disse que adoro seus textos?! São lindos!

beijos daqui...

Noé disse...

E, por onde anda a blogueira?

José Luiz de Campos Castejón Branco disse...

Blog muito bacana, mas vc anda sumida! Revisite o meu! Um abraço.